quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Todo cão merece uma casa




A preocupação com o abandono de cães na cidades brasileiras não é mais um problema restrito ao grupo de protetores, amantes dos animais ou de ONGs. Grandes redes do varejo de alimentação mostram que estão também preocupadas com o tema. Neste verão de 2017, o Habib's resolveu abraçar a causa e lançou uma campanha a favor da adoção de cães sem lares. 
"Todo cão Merece uma Casa" tem como garoto-propaganda o Snoopy, que como todos sabem é apaixonado por sua casinha. O problema do abandono é grave. Afinal, cães abandonados sofrem nas ruas, passam fome, e ainda podem causar acidentes de carro e de motos, e agravar o quadro ruim da saúde pública. A retirada de um cão da rua beneficia portanto a todos: o animal, os que gostam de bichos, os motoristas e a cidade de maneira geral. 

O interessante da campanha são os cards com fotos de alguns dos cães a serem adotados, como a Bisnaga, o Sol, a Loli, o Feijão, o Zen, a Berenice e o Suspiro (como na foto acima), além de mensagens que estimulam as pessoas a visitarem o site (www.kithabibs.com.br), onde é possível encontrar informações sobre os cães e a importância da adoção. Há ali também uma lista com ONGs e abrigos, que trabalham a causa com seriedade e credibilidade reconhecidas.
Há milhões de cães abandonados no Brasil e a maioria deles nunca encontra um lar. São cães abandonados nas férias, no período de Carnaval, por exemplo, por gente que quer viajar e não quer ter despesas com hotel para o cachorrinho, enfim um reflexo da irresponsabilidade com que muitas pessoas lidam com os animais de estimação.
“É ótimo usar a força de nossa marca para promover causas que façam a população refletir e agir”, disse Bruno Reis, superintendente de Marketing do Habib’s.




segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Trechos de um poema de Natal

Em 1949, o poeta Manuel Bandeira escreveu o poema Presepe. Segue abaixo um trecho:
"Os anjos contavam
que o menino viera
para redimir
o homem – essa absurda
imagem de Deus!
Mas o jumentinho,
tão manso e calado
naquele inefável,
divino momento,
esse bem sabia
que inútil seria
todo o sofrimento (...)"