domingo, 30 de outubro de 2011

Confiança da comunidade marca nova fase do Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família

As irmãs gêmeas Raísa (esq.) e Raiana, de 9 anos, levaram os seus gatos Dudu e Chico
para atendimento veterinário/Fotos Ricardo Osman
                                    A comunidade da Chácara Vista Linda, bairro da cidade de Bertioga, no litoral paulista, deixou claro neste sábado, dia 29 de outubro, que acredita no trabalho desenvolvido pelo Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família, um projeto realizado pelo Centro Universitário FMU em parceria com a Prefeitura de Bertioga. Os moradores desta comunidade carente, principalmente crianças e adolescentes como as meninas Raísa e Raiana, filhas da diarista Rizelda Agostinho, de 49 anos, levaram seus animais de estimação para a escola municipal da Chácara Vista Linda, onde equipe de professores e estudantes da FMU fizeram exames clínicos, de fezes e de sangue gratuitos nos animais. Os exames de sangue devem orientar pesquisa de epidemiologia. A equipe também orientou os donos e as crianças sobre como cuidar dos animais. Em trabalho conjunto com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Bertioga foram agendadas castrações. Participaram no sábado do projeto os professores Débora Gidali, Flávio Aparecido Baldisseri Júnior, João Carlos Shimada Borges e Paula Bastos.


O atendimento dentro da escola
Por volta das 10 horas da manhã de sábado, uma fila se formou diante da escola municipal com os moradores do bairro e seus animais aguardando o atendimento. Era um sinal evidente da confiança e da importância que aquela comunidade atribui ao Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família, coordenado pelo professor Carlos Augusto Donini. Logo, a divulgação sobre o atendimento, que já tinha sido iniciada na semana anterior, ganhou o boca-a-boca das ruas e muitos moradores apareceram na escola com seus animais. Uma criança chegou com uma gata e cinco filhotes dentro de um carrinho de mão. Outros traziam cães com cordinhas e muitas crianças tinham filhotes no colo. Todos os bichinhos foram examinados e as famílias orientadas. O caso mais grave do dia foi o de uma cadela jovem que mostrou sinais de Tumor Venéreo Transmissível (TVT), uma doença grave que, como o nome diz, é contagiosa. O caso foi levado ao conhecimento da direção do CCZ, que marcou reunião com o proprietário nesta semana. O animal deverá ser tratado e castrado.


Fila na recepção

As crianças com os gatinhos
                    





















Vanuza e o vira-lata Chico
CHICO, ABANDONADO, QUER TER UMA FAMÍLIA.


O cachorrinho Chico, um vira-lata, foi abandonado no bairro Chácara Vista Linda por suas vezes nos últimos quatro meses. A dona se mudou do bairro deixando Chico na calçada da Estrada Número 1, ao relento. Depois uma vizinha, que passou a cuidar dele, também se mudou e Chico voltou para a rua. Nos últimos meses ele tem sido alimentado pela moradora Vanuza José da Silva, de 40 anos, auxiliar de limpeza em uma empresa de Bertioga. Ela diz que não tem condições de ter o animal e por isso procurou orientação no Programa. "As pessoas que têm afeto com os animais sofrem porque muitos são abandonados, ficam na chuva e no sol", disse Vanuza. "Gostaria que Chico fosse recolhido das ruas e seguisse para um programa de adoção, ganhasse um lar". O animal tinha feridas nas duas orelhas e recebeu medicamentos no sábado. O caso de Chico foi levado à direção do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Bertioga. A direção informou que irá recolher Chico nesta semana e incluí-lo no programa de adoção de animais. Chico é um cão manso e obediente. Você quer ficar com ele? Entre em contato com o CCZ de Bertioga.

"Se Deus não gostasse dos animais, 
 não teria mandado recolher os bichos
quando ocorreu o Dilúvio",
frase da moradora Vanuza José da Silva,
Bertioga, 29 de outubro de 2011.




OPINIÃO DO AUTOR: O Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família tem suas limitações, deficiências e qualidades como qualquer projeto posto em prática. É melhorado a cada fase. Mas duas qualidades merecem destaque: 1) O programa é aberto à participação de crianças e adolescentes de Bertioga. Por isso, tem um caráter EDUCATIVO de impacto positivo inimaginável no momento. As crianças e os adolescentes podem levar – como o tem feito – seus animais para o atendimento e provavelmente este seja o primeiro contato que estes jovens têm com a Medicina Veterinária. Desta forma, passam a compreender que todos os seres vivos do Planeta precisam de cuidados e que os cuidados com os animais estão diretamente relacionados à saúde de toda a família. Ganham um saudável senso de responsabilidade. 2) O programa incentiva os estudantes de Medicina Veterinária à prática do serviço comunitário, já que são todos voluntários. O ato de SERVIR uma comunidade carente honra e fortalece a vocação de médico veterinário. Que Deus abençoe a todos.
  


O exame de sangue



sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Supercães contra o terrorismo

Treinamento na Indonésia: descida do helicóptero/Foto ADEK BERRY/AFP/Getty Images


A foto é impressionante e mostra soldados e cães de um comando especial da Indonésia, país do sudeste da Ásia. A equipe é especializada em ações contra o terrorismo e fez treinamento na quinta-feira, dia 27 de outubro, na capital Jacarta. A missão dos supercães é garantir em breve a segurança durante os Jogos do Sudeste Asiático. Devemos agradecer aos animais, por mais esta colaboração pela paz.


Um primo belíssimo!


Orangotango do Basel Zoo, da Suiça/Foto Divulgação


Os primatas são primos dos humanos  e ninguém tem mais dúvida disso desde que o naturalista Charles Darwin escreveu seu livro "A Origem das Espécies". O Basel Zoo, na Suiça, tem vários primatas e exibe a foto deste amigo aí em seu site. Trata-se de um Zoológico que trabalha com conceitos avançados de "enriquecimento" de ambiente, por isso frutas são escondidas dentro de caixas para estimular os animais a procurá-las.  







domingo, 23 de outubro de 2011

Estudantes de Medicina Veterinária da FMU visitam moradores da Chácara Vista Linda

O agente sanitário Álvaro de Oliveira Mendonça e a estudante da FMU (à dir.)
entrevistam a babá Maria Aparecida dos Santos/Fotos Ricardo Osman

                              Os professores e estudantes de Medicina Veterinária da FMU estiveram no sábado, dia 22, no bairro Chácara Vista Linda, em Bertioga, litoral paulista, para entrevistar os moradores desta comunidade carente, distante do Centro da cidade. Esta foi mais uma etapa do Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família, realizado graças a parceria firmada entre o Centro Universitário FMU e a prefeitura de Bertioga. O projeto é coordenado pelo professor Carlos Augusto Donini.
                              Os estudantes de Medicina Veterinária chegaram pela manhã ao local e saíram em equipes acompanhados por agentes sanitários da prefeitura, profissionais que orientam a população sobre medidas de prevenção à dengue. O objetivo era realizar pesquisa nos domicílios sobre a convivência com animais e dar orientações aos moradores em relação a zoonoses. Mas em um bairro no qual o esgoto corre a céu aberto os problemas são grandes e de solução complexa. O saneamento básico está diretamente relacionado com a Saúde.
Jovens estudantes: visita bem-vinda.
O agente sanitário Álvaro de Oliveira Mendonça trabalhou acompanhado por uma equipe de cinco estudantes da FMU. Ele explicou aos estudantes como faz o seu trabalho e mostrou locais e recipientes (como latinhas de cerveja) que podem acumular água e se transformarem em criadouros do mosquito transmissor da dengue. "Tem cachorro aí?", perguntava ele ainda no portão das casas, alertando os estudantes sobre os riscos que os adoráveis animais podem representar para equipes que precisam entrar em residências para pesquisar ou orientar. O melhor amigo dos homens é também um protetor eficiente.
Superando os obstáculos 



Uma das primeiras casas visitadas foi a de Flávio Godoy, na Estrada Quatro, perto da escola municipal da Chácara Vista Linda. Flávio tem uma gata e recebeu muito bem a equipe de estudantes e o agente sanitário Mendonça. Ele se queixou, porém, de casa abandonada ao lado de seu terreno. Na conversa com estudantes, ele revelou que gostaria de castrar a gatinha para não ter ninhadas indesejadas. Ao contrário do que se poderia imaginar, a maioria dos donos de cachorros com os quais a equipe conversou mostrou interesse em castrar os animais, o que revela avanço significativo na consciência da população sobre a necessidade de controle da reprodução dos bichos (vale lembrar que ninhadas inteiras de cachorrinhos e gatinhos costumam ser abandonadas em terrenos baldios, parques e estradas de todo o País). 
Em seguida, a equipe esteve em outra residência, a da babá Maria Aparecida dos Santos, de 39 anos, que cria uma dezena de galinhas em casa para a alimentação de subsistência. Maria Aparecida relatou a presença de ratos no quintal da casa e foi orientada sobre os riscos de transmissão da Leptospirose. 
"Tudo que diz respeito à área da Saúde é importante. Agradeço a visita de vocês", disse a moradora Silvanir Cirino dos Santos, de 42 anos, que mora na Estrada Nove. Ela não tem animais domésticos, mas disse que lagartos passam quase todos os dias no meio de seu quintal, vindo da mata próxima. 
O autor deste blog participar do Programa na condição de estudante do 4.º semestre de Medicina Veterinária da FMU.
             
Hora do almoço: refeição na escola municipal.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Participe da Ação Global Animal: sábado, dia 22, no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo.

Uma festa para ninguém perder.  A Prefeitura de São Paulo e Organizações Não-Governamentais (ONGs) convidam você e seus animais para a Ação Global Animal, um superevento que será realizado no sábado, dia 22 de outubro, na sede do Centro de Controle de Zoonoses (CZZ) de São Paulo, das 10 horas às 16 horas.
A Ação Global Animal vai oferecer serviços gratuitos, orientação veterinária e guia para programar a castração gratuita dos animais. Além disso, terá o  badalado desfile dos cães que estão disponíveis para adoação e apresentação de peça de teatro, para animar a garotada. O evento revela a grande mudança que ocorreu no CCZ de São Paulo nos últimos três anos. Antes, quase nada era realizado lá com a comunidade. Hoje, a entrada das pessoas e das ONGs está assegurada e há eventos para aumentar a doação dos animais recolhidos das ruas. Esperamos que os trabalhos sigam sempre nesta direção.                   

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Pet South America tem produtos inovadores que unem beleza e bem-estar animal

A principal feira do setor pet/Foto divulgação
Começa hoje em São Paulo a principal feira do setor pet na América Latina, a Pet South America, que é voltada para profissonais do mercado. Esta é a 10.ª edição da feira, que vai até o dia 20 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo.
Entre os expositores está a Bernard Pet, uma empresa brasileira, que uniu os recursos da moderna Nanotecnologia ao conceito de Bem-Estar Animal para desenvolver produtos de beleza, higiene e tratamento estético que promovem a saúde do animal. A empresa desenvolve seus produtos especialmente para cada espécie,  considerando os cuidados com a pele e os pelos de cada pet e utiliza matérias-primas compatíveis com as características biológicas dos animais, conforme disse o diretor Luciano Polaquini. "Hoje, mais do que nunca, os animais de estimação fazem parte das famílias brasileiras. Nesta tarefa, a Bernard Pet conta com uma equipe de profissionais altamente qualificada, que entende muito de bichos", disse Polaquini.
A empresa segue uma tendência do mercado internacional. Na feira, está lançando sua linha de produtos com nanotecnologia: Bello Elite Nano, com Shampoo Neutro, Máscara de Hidratação e Serum de brilho (silicone e spray). A máscara chega ao mercado, para trazer uma nova opção, mais eficaz de hidratação. Outra novidade, é que o shampoo não irrita os olhos dos animais, garantindo maior segurança na aplicação e maior conforto no banho. Para animais que participam de competição, o sérum de brilho é a melhor escolha para finalização dos pelos, pois confere maior maciez e luminosidade, enaltecendo mais a beleza natural do animal. "Tudo isso sem deixar de lado a saúde dos bichos, pois não basta ser bonito, é preciso ser saudável", afirmou o diretor. Para garantir os cuidados na hora da aplicação, a empresa informa que criou um plano para capacitar os profissionais do mercado Pet sobre a maneira correta de utilização desses produtos inovadores no processo de embelezamento. A marca tem como objetivo conscientizar a população, os profissionais do mercado e da área veterinária sobre os sérios riscos que os animais correm quando usam produtos de higiene inadequados ou improvisados.



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Umberto Eco: a inteligência dos cachorros.

O escritor Umberto Eco
O escritor e filósofo italiano Umberto Eco escreveu um artigo formidável sobre a inteligência dos cachorros, o que vem encantando a humanidade desde os tempos dos pensadores gregos, como ele mostra no texto.
Umberto Eco é autor de romances de sucesso como "O Nome da Rosa" e intelectual respeitado em todo o mundo (já deu aulas em Yale e Harvard, nos Estados Unidos).
O artigo de Umberto Eco foi publicado na edição de segunda-feira, dia 10 de outubro, do Diário do Comércio, jornal da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
A direção do jornal autorizou gentilmente a reprodução do artigo neste blog. Vale conferir:           







"Uma mulher foi pegar cogumelos acompanhada por uma amiga e pelo cachorro da amiga. A mulher foi picada por uma vespa e teve um choque anafilático. Deixou de respirar e sua amiga telefonou pedindo ajuda, mas o resgate demorava a chegar, pois estavam em uma mata fechada e era difícil determinar a sua localização. 
 
E o animal, em vez de ficar ali, lambendo a mão da mulher agonizante, como seu instinto determinava, saiu como um foguete, cruzou a mata, encontrou os socorristas e os guiou ao lugar certo.
 

Imagem do filósofo grego Plutarco

Faz pouco tempo, o etnólogo italiano Danilo Mainardi contou essa história ao jornal Corriere della Sera, para ilustrar a tese de que os cachorros não são governados totalmente pelo instinto – e que eles apresentam também um comportamento "inteligente". O cão do exemplo não apenas ignorou seu instinto de permanecer ao lado da pessoa machucada como também elaborou um plano complexo que envolvia vários humanos.
 

Essa história e os comentários de Mainardi me fizeram lembrar a antiga e ampla literatura relacionada à capacidade dos cachorros em raciocinar – em particular as obras dos filósofos gregos. 
 
Um dos textos que teve uma influência considerável para a posteridade é a História Natural, de Plínio, escrita no primeiro século. Ela também se refere a peixes, aves e outras espécies, mas enfoca intensamente a inteligência canina. Plínio menciona um cachorro que reconheceu o assassino de seu amo no meio de uma multidão. Mordendo e latindo, o cão obrigou o homem a confessar seu crime.
 
Depois há o relato de um cachorro cujo dono foi condenado à morte. O animal uivou tristemente diante do corpo de seu amo. E quando um espectador lhe jogou um pedaço de comida, ele o levou até a boca do homem morto. Quando o corpo do dono foi jogado no Tibre, o cachorro pulou no rio para resgatá-lo.
 

Mas do ponto de vista filosófico o debate sobre a inteligência canina já estava presente há pelo menos três séculos antes do narrado por Plínio, entre os estoicos, acadêmicos e epicuristas.
 
No âmbito do debate dos estoicos existe  um argumento atribuído ao filósofo Crisipo, que seria retomado e popularizado quase cinco séculos depois por Sexto Empírico. Sexto, filósofo e historiador, garante que os cães são capazes de raciocínio lógico e, para comprovar, escreveu que um cachorro, tendo chegado a uma encruzilhada com três caminhos e que após ter detectado pelo olfato que a presa não tinha seguido duas das três rotas, seguiu pela terceira sem mesmo se deter para cheirá-la. 
 
Supostamente, o raciocínio do cachorro foi o seguinte: "A presa tomou este caminho, ou o segundo, ou o terceiro; pois bem, se não é o primeiro nem o segundo, então tem de ser o terceiro".
 
Edição de História Natural
Sexto afirmou também que os cães possuem "logos" – ou razão – porque compreendiam como deviam cuidar de suas feridas: remover os espinhos das patas, manter suas extremidades imóveis e encontrar as ervas adequadas para aliviar seu sofrimento. 
 
Quanto à questão de uma linguagem animal, é verdade que os humanos não conseguem entender completamente a "língua" dos animais; mas podemos discernir os tipos diferentes de som que os cachorros fazem em diversas situações.
    
Poderíamos ainda  continuar citando um contemporâneo de Plínio. Plutarco, em seu ensaio Sobre a Inteligência dos Animais, afirmava que ainda que o raciocínio dos animais certamente seja imperfeito comparado ao raciocínio humano, os animais exibem raciocínio na forma com que se adaptam e decidem. E em As Feras Brutas Fazem Uso da Razão, ele responde àqueles que acham que é exagero atribuir razão aos animais – seres carentes de uma noção inata da divindade – ao assinalar que tampouco todos os seres humanos creem em um poder divino.
 
No segundo século, em sua obra Sobre a Natureza dos Animais,  Aeliano descreve animais se apaixonando por humanos. Em Sobre a Abstinência da Comida Animal, escrita por Porfírio mais de cem anos depois, o autor sírio, um neoplatonista, argumenta que a inteligência animal é um motivo para se tornar vegetariano. Esses todos são temas que prevaleceram até os tempos modernos, até os dias atuais.
 
Ainda que não haja uma definição universalmente aceita da inteligência canina, deveríamos ser mais sensíveis com relação a esse mistério. E se é muito pedir que todos adotem o vegetarianismo, talvez aqueles donos de cachorros menos inteligentes do que seus mascotes pudessem deixar de abandoná-los à beira da estrada."
 
Tradução: Rodrigo Garcia. 
(A íntegra do artigo pode ser vista também na página do Diário do Comércio: http://www.dcomercio.com.br/index.php/opiniao/sub-menu-opiniao/74906-inteligentes-pra-cachorro)
 
 
 
 

domingo, 9 de outubro de 2011

Dia das Crianças especial em Bertioga: Teatro de Fantoches ensina a cuidar dos animais.


Crianças e adolescentes aplaudiram a apresentação/Fotos de Ricardo Osman
                              
                     Em homenagem ao Dia das Crianças, professores e estudantes de Medicina Veterinária da FMU desembarcaram no sábado, dia 8 de outubro, no bairro Jardim Indaiá, em Bertioga, levando além dos estetoscópios e equipamentos para exames de sangue e de fezes de animais, bonecos do Teatro de Fantoches. Eles apresentaram às crianças e adolescentes os personagens vira-lata Salgadinho, os cachorrinhos Estrela e Zezinho, e o Doutor (o veterinário). A peça ensina os cuidados básicos com animais de estimação, como o banho, o uso de coleira e a necessidade de vacinação e castração. A iniciativa foi aplaudida pela garotada. O teatro faz parte do projeto educacional do Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família realizado em Bertioga graças a parceria entre o Centro Educacional FMU e a prefeitura local.
                  _ Quem vai ajudar a encontrar uma casa para o Salgadinho?, perguntou a personagem Estrela às crianças.
                  _ Nós vamos, nós vamos... respondeu a animada platéia.
                  _ Mas antes vamos trocar o nome do Salgadinho. Cachorro não pode comer salgadinho. Qual o nome que vocês querem dar?
                  _ Totó, Lobinho..., gritaram as crianças. No enredo, o vira-lata Salgadinho, rebatizado como Lobinho, perambula pelas ruas da cidade, mas entra no programa de adoção de animais.
Carla (com o Doutor), Ana (e o Zezinho),
Mirela (com Salgadinho) e Jéssica (Estrela).
 Ao lado, a professora Paulo Bastos.
A peça foi dirigida pela professora Paula Bastos e encenada pelas estudantes Jéssica Bellinazzi (cachorrinha Estrela), Carla dos Santos (o Doutor, o veterinário), Mirela Oliveira (vira-lata Salgadinho/Lobinho) e a voluntária Ana Clara (Zezinho). O texto é uma criação do grupo com a participação do autor deste blog. 
Projetos de educação junto a crianças e adolescentes são de grande importância porque ensinam às novas gerações as medidas de prevenção que podem ser adotadas contra doenças e acidentes. Esses cuidados beneficiam os jovens, os animais e toda a família. A nova geração pode fazer um mundo melhor para todos!
                 


video
                                                       



ATENDIMENTO AOS ANIMAIS
                Muitas crianças e adultos levaram no sábado, dia 8, seus animais de estimação para o atendimento gratuito do Programa do Médico Veterinário da Saúde da Família, coordenado pelo professor Carlos Augusto Donini. Neste dia, foram feitos exames clínicos, de fezes e de sangue nos animais, limpeza de feridas e administração de vermífugos. O grupo integrou a Caravana da Cidadania, uma iniciativa da prefeitura de Bertioga, que ofereceu outros serviços à população. A equipe constatou a incidência grande de pulgas e carrapatos nos animais atendidos e teve a boa notícia de que a maioria dos donos agendou a castração de seus bichos, o que será feito em breve.
                 Uma das primeiras crianças a chegar foi o jovem Lucas, de 10 anos, que vestia camisa da seleção brasileira de futebol, e trouxe para exame o seu cachorrinho Ted, um filhote de 6 meses. Às 10 horas da manhã, Lucas pegou a primeira senha de atendimento. Ele estava acompanhado pelo pai José Rivaldo Severo, de 37 anos, pedreiro. O menino acompanhou curioso o atendimento a seu animal de estimação.

O jovem atento ao exame de Ted

Lucas com o cachorrinho Ted





















Outras crianças levaram seus animais para exames, como Beatriz, de 11 anos, que chegou com o cachorrinho Rincon no colo, e Gabriel, de 7 anos, com Beethoven.

Beatriz e Gabriel, moradores do Jardim Indaiá.


Beatriz na entrevista incial
 

O cachorrinho Rincon, no exame.


OS FILHOTES DE MEL

Professor Donini e um dos filhotes

O professor Donini e a equipe de estudantes de Medicina Veterinária realizaram até um atendimento domiciliar no sábado. O aposentado Jorge Henrique, de 60 anos, moradora da rua Waldemar Costa Filho, no bairro de Jardim Indaiá, procurou o programa e informou que sua cachorra a Mel, uma Cocker, teve cinco filhotes na madrugada. A equipe encontrou Mel e os recém-nascidos em uma casinha ao lado da piscina da casa, sob um guarda-sol.
Como o dia estava muito quente, foi orientada a transferência da casinha para a garagem, local mais fresco. Os filhotes foram examinados e passam bem. O dono recebeu orientação sobre uma dieta reforçada para Mel, a base de ovo cozinho e pequena colher de leite em pó. Orientações simples, sem custos elevados, que garatem a sobrevivência dos filhotes. No final, o aposentado agradeceu: "Venham morar em Bertioga. Estou esperando por vocês."




MAX CHEGA NO CESTINHO DA BICICLETA.


O porteiro Lenilton Batista, de 27 anos, não perdeu
a oportunidade. Ele levou seu cachorrinho Max de bicicleta para o exame veterinário.



                                                                       
                                                    

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Os filhotes do Zoo de San Diego

Filhote de canguru
toma mamadeira/
Foto de divulgação
Filhote de anta na Califórnia/
Foto de divulgação
Os novos moradores do Zoológico de San Diego, na Califórnia, são um filhote de canguru, achado fora da bolsa da mãe em julho deste ano, e que toma três mamadeiras por dia, e uma pequena anta, que nasceu em setembro deste ano e toma quatro mamadeiras por dia. O filhote de marsupial foi encontrado fora da bolsa da mãe canguru pesando 51 gramas. Sua sobrevivência ficou seriamente ameaçada, porque o desenvolvimento dos filhotes nesta espécie ocorre nesta bolsa. A equipe de veterinários do Zoo precisou simular o "berçário" materno, o que não é fácil. A anta passa também bem e poderá ser em breve um "embaixador animal", ou seja deverá fazer parte de programa de educação de crianças e jovens sobre a vida selvagem do San Diego Zoo Safari Park.
Os filhotes revelam o esforço extraordinário de equipe de profissionais para conseguir a reprodução de animais selvagens em cativeiro.

Para saber mais: http://www.sandiegozoo.org/ 


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Obrigado, São Francisco de Assis.

Imagem de São Francisco de Assis/Divulgação
                   
                                      Neste 4 de outubro, homenageamos o Santo protetor da Natureza e de todas as formas de vida: São Franscisco de Assis, que nasceu na Itália no ano de 1.182 e tornou-se por sua Fé, exemplo e generosidade a esperança de várias gerações. Depois de uma juventude mundana, dedicou-se a Cristo e pregou ressaltando o amor e a harmonia da Criação. Neste século 21, de desvastação da natureza e dos animais, suas orações e mensagens são atuais. Hoje, foram feitas inúmeras homenagens a São Francisco de Assis em todo o Brasil, com a benção aos cachorros, gatos, papagaios, vaquinhas...
                                     Leonardo Boff o definiu como o "arquétipo da integração ecológico-cósmica" no livro "Francisco" de Tiago Santiago (Editora Record). Cito trecho do prefácio de Boff: "S. Francisco não pertence somente ao cristianismo. Ele se transformou num dos arquétipos referenciais do Ocidente, e hoje da humanidade, em sua busca de uma nova aliança com a natureza. Com fina percepção sentia o laço de fraternidade que nos une a todos os seres. Ternamente chama a todos de irmãos e de irmãs. As coisas têm coração. Ele sentia seu pulsar. Por isso, nutria veneração e respeito face a cada ser, por mais insignificante que fosse. Nas hortas as ervas daninhas devem ter o seu lugar. Do seu jeito, elas também louvam o Criador que é um Pai bondoso com características de Mãe de infinita ternura..."

O blog AnimaisOk faz uma homenagem ao protetor de nossos irmãos e irmãs do reino animal, em agradecimento. Segue para você leitor a Oração que ele nos ensinou:

                                    "Senhor fazei de mim um instrumento de tua Paz,
                                    Onde houver ódio, que eu leve o Amor,
                                    Onde houver ofensa, que eu leve o Perdão,
                                    Onde houver discórdia, que eu leve a União,
                                    Onde houver dúvida, que eu leve a Fé,
                                    Onde houver erro, que eu leve a Verdade,
                                    Onde houver desespero, que eu leve a Esperança,
                                    Onde houver tristeza, que eu leve a Alegria,
                                    Onde houver trevas, que eu leve a Luz,
                                    Oh! Mestre, faça que não queira tanto
                                    Consolar que ser consolado,
                                    Compreender que ser compreendido,
                                    Amar que ser amado,
                                    Porque é dando que se recebe,
                                    Perdoando que se é perdoado,
                                    Morrendo que se ressuscita para a vida eterna.

                                                                     São Francisco de Assis